Você que odeia político qual o seu grau de apreço pela justiça?

2 de agosto de 2017 | _
Você que chama político de "ladrão", de que você chamaria muitos dos magistrados desse país, cuja a corrupção podemos chamar de "sem fronteiras", está por toda parte. Onde andam os justos da justiça, seja ele promotor, juiz ou sei lá o que seja. Qual respeito e a quem se deve ter respeito por esses camaradas donos de hiper salários, para defender marginais parentes seus, como podem querer julgar algo sobre a vida de quem não conhecem? Não respeito nenhum. O que me deixa triste, pois esses senhores e senhoras não honram as causas e muito menos as saias que vestem por baixo da toga.

O caso do filho da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), desembargadora Tânia Garcia Freitas, Breno Fernando Solo Borges, de 37 anos, preso com 129 quilos de maconha e 270 munições de grosso calibre e depois solto porque a mamãezinha do marginal é poderosa e teve a cumplicidade de seus pares na mais descarada e sem-vergonha atitude conseguindo para o traficante de armas e droga a interdição do filho, e se apresentou como responsável por ele alegando que Breno sofre de síndrome de borderline, e que por isso não seria responsável por seus atos. 

Preso o filho não pode ficar por causa do trem da síndrome, mas pode praticar a marginalidade, vendendo armas e drogas a facções criminosas. Meu repudio a essa justiça!

Deixo aqui uma pergunta: Porque a doutora não interditou o boniton dela quando vendia armas e drogas? 

São por essas e outras que não tenho condições de respeitar a justiça nesse país. No erreene não é diferente, tivemos desembargadores aposentados por terem sido acusados de transações ilícitas envolvendo precatórios, juízes que vendem habeas, advocados lobistas fazendo papeis de comerciantes de clientes junto ao judiciário, uma safadeza. 

Essas são apenas algumas demonstrações de que o poder do dinheiro e da influência jurídica ainda imperam na sociedade brasileira.