Relator diz que tem provas contra Serra e Aloysio Nunes do PSDB

24 de agosto de 2017 | _
Apontado como operador do PSDB, o empresário Adir Assad, que assinou na segunda-feira (21) acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal, entregará aos investigadores extratos que, segundo ele, comprovam transações feitas para "gerar" dinheiro para empreiteiras pagarem propina em obras do PSDB em São Paulo.

Segundo Assad, quem indicou a ele as empreiteiras para efetuar as transações foi Paulo Vieira da Silva, conhecido como Paulo Preto, ex-diretor da Dersa no governo do tucano José Serra.

Assad disse as propinas eram operadas aos tucanos, Serra e o ministro Aloysio Nunes Ferreira (Relações Exteriores).