Reforma política arquitetada para destruir a esquerda e os trabalhadores

10 de agosto de 2017 | _
Depois do parlamento aprovar a reforma trabalhista e a manter o Michel Temer na presidência, agora agora eles orquestram para enfiar de buraco a dentro a reforma política, de forma aniquiladora, dando de uma vez, fim na esquerda e na representação dos trabalhadores na política.

A reforma apresentada é o puro beneficiamento da direita através de um conjunto de medidas que a favor de partidos tradicionais - as siglas dos coronéis.

O relatório aplaudido pelo PSDB, pelo PMDB foi feito por um deputado do PT. O discurso de acabar com a corrupção não passa de demagogia para votarem um regime político mais restrito e autoritário.

No país, há 35 partidos legalizados, e os parlamentares acha que são muitos e existe muito gasto com fundo partidário. O senador tucano Aécio Neves (PSDB-MG), um “poço de moral e honestidade”, Ricardo Ferraço (PSDB-ES) autor da reforma trabalhista, tramam uma PEC para restringir essa distribuição de acordo com o desempenho de cada partido.

Esses dois larápios da política brasileira, juntamente com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), maquinam acordo com Vicente Cândido do PT para que inclua uma emenda em seu parecer, acelerando o processo de aprovação da barreira.

Uns filhos da mãe que não cortaram o cordão umbilical com a ladroagem.