Operação Anteros deflagrada pela Polícia Federal prende assessores do governador do Rio Grande do Norte

15 de agosto de 2017 | _
A Polícia Federal e a Receita Federal, deflagraram na manhã desta terça-feira (15), a Operação Anteros em Natal, que culminou em mandados de busca e apreensão e tiveram como alvo a residência do governador, no condomínio Porto Brasil, na praia de Pirangi; no apartamento dele, na praia de Areia Preta; na Governadoria, no Centro Administrativo do Estado; e na Assembleia Legislativa e anexos da própria AL.

busca e apreensão no apartamento do governador Robinson Faria (PSD) e na governadoria. A operação visa apurar crimes de organização criminosa e obstrução de justiça que teriam sido cometidos pelo governador do Estado do Rio Grande do Norte.

As manobras ilegais tinham por objetivo encobrir que fossem investigados atos do executivo estadual relativos ao desvio de recursos públicos por meio da inclusão de “funcionários fantasmas”, na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte entre os anos de 2006 até os dias atuais.Devido ao sigilo dos autos as informações se restringem a nota.

Ao todo, são cerca de 70 policiais dando cumprimento a 11 medidas judiciais, sendo 02 de prisão e 9 de busca e apreensão. Todos os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça – STJ. A casa do governador no bairro de Areia Preta, na Zona Leste, foi um dos endereços que receberam as investidas da PF.

Na operação foram presos (mandados de prisão temporária de cinco dias) Magaly Cristina da Silva e Adelson Freitas dos Reis, assistentes de confiança do governador. A primeira foi servidora na Assembleia Legislativa desde 1987, a convite de Robinson quando ele ainda era deputado estadual. Antes, Magaly trabalhava como secretária na empresa da família do governador.