Lúcio Funaro apresenta Temer como chefe de quadrilha e com dinheiro no exterior

30 de agosto de 2017 | _
Delação premiada de Lúcio Funaro implicará praticamente todos os aliados de Michel Temer no PMDB, além de apontar o próprio Temer como beneficiário de desvios da Caixa e de dinheiro escondido no exterior.

Funaro chegou nesta terça ao gabinete do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo. Cabe a ele decidir se homologa ou não o acordo da PGR com Funaro.

O empresário detalhou sua atuação como operador financeiro do PMDB da Câmara dos Deputados, no grupo político liderado pelo próprio Michel Temer. Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve usar informações prestadas por Funaro na segunda denúncia contra o peemedebista, que ainda é é investigado por suspeita de obstrução da Justiça e organização criminosa.