A votação de ontem na câmara engrandece uma pessoa e joga na lama outra

3 de agosto de 2017 | _
de Fernando Horta

Sai engrandecida Dilma Rousseff, absolvida de qualquer acusação de intratabilidade para com o congresso. Estes imundos que estão aí mereciam mesmo o desprezo da presidente e fica claro que o golpe não teve nada a ver com "luta contra corrupção".

Sai na lama, mais ainda, Eduardo Cunha. Como dito por Jucá, ele nunca foi necessário. O bando de hienas da Câmara seria capaz de ter votado o impeachment da Dilma sozinho. Acho até que Cunha, evitando a livre negociação e venda de cada deputado, deve ter recebido mais do que os atuais receberam separadamente.