Lula requereu e terá depoimento presencial em Curitiba

28 de julho de 2017 | _
Disposto a não baixar a guarda. Lula havia pedido, com base na lei, que seu depoimento a Sérgio Moro sobre outro caso “surreal” de corrupção: a compra de um prédio para o Instituto Lula que nunca foi propriedade – ou sequer usado nunca foi usado – pelo Instituto Lula e a compra de um apartamento em São Bernardo do Campo, vizinho ao do ex-presidente, que o aluga.

Moro havia determinado que o depoimento por videoconferência, sob o argumento de que isso evitaria “gastos indesejáveis de recursos públicos com medidas de segurança”, como se fosse responsabilidade de Lula o aparato desproporcional montado pela Secretaria de Segurança Pública do Paraná e pela Polícia Federal quando o ex-presidente foi interrogado como réu na ação penal do caso do apartamento do Guarujá e uma multidão pacificamente, foi apoiá-lo.

Lula demonstra não estar disposto poupar Moro do constrangimento de seguir em seu cada vez mais transtornado ódio e passa a impressão de que é exatamente isso o que quer evidenciar à opinião pública.