Produção de energia eólica no RN cresce 39% de janeiro a abril

17 de junho de 2017 | _
Estado continua na liderança da produção no país, com 1.087 MW médios e 3.209 MW de capacidade instalada nos primeiros quatro meses do ano


Dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) mostram que o Rio Grande do Norte registrou, ao longo dos primeiros quatro meses deste ano, um aumento de 39% na produção de energia eólica em operação comercial no Sistema Interligado Nacional (SIN). A média de crescimento potiguar é superior à média nacional, que foi de 30% em relação ao mesmo período de 2016.

Com o resultado, o estado mantém a liderança na produção brasileira, com 1.087 MW médios, muito à frente da Bahia (678 MW), do Rio Grande do Sul (533 MW) e do Ceará (465 MW), que vêm na sequência.

O número se torna ainda mais surpreendente quando é analisada a capacidade instalada. De janeiro a abril deste ano, o Rio Grande do Norte teve aumento neste quesito de 19%, acrescentando 3.209 MW de capacidade instalada – quantidade um pouco menor de tudo o que foi produzido pelo país nos quatro meses: 3.286 MW. Ao todo, o país teve 10.517 MW de capacidade instalada. O Rio Grande do Norte responde, logo, por mais de 30% disso.

Em 2016, 81 novos parques geradores de energia eólica foram inaugurados no país, adicionando 2 GW à matriz elétrica brasileira. Com isso, o setor chegou ao final do ano passado com 430 parques instalados, com capacidade geradora total de 10,75 GW. Foram gerados mais de 30 mil postos de trabalho, com investimento de US$ 5,4 bilhões.

No Rio Grande do Norte, segundo levantamento publicado recentemente pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia (Cerne), atualmente há 122 parques eólicos instalados, o que proporciona uma capacidade geradora de 3,3 GW.