Rodrigo Janot pede ao STF que decrete a prisão de Aécio Neves

22 de maio de 2017 | _
Último Segundo - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira que o STF (Supremo Tribunal Federal) decrete a prisão preventiva do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Ambos estão afastados após terem sido citados nas delações premiadas de executivos da empresa JBS.

Rodrigo Janot propôs um agravo regimental contra decisão do ministro Edson Fachin, que indeferiu pedido de prisão preventiva decorrente do flagrante por crime inafiançável dos dois parlamentares, que são investigados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução à investigação.

Os pedidos de prisão dos parlamentares e de outras oito pessoas foram formulados pelo procurador-geral da República com base em material comprobatório apresentado por pessoas ligadas ao grupo J&F, bem como em apurações feitas por meio de ações controladas da Polícia Federal.

O agravo pede a reconsideração da decisão do ministro. Em caso de negativa, requer que o recurso seja submetido, com urgência, ao Plenário do STF. Para Janot, a prisão é imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal, diante dos fatos gravíssimos imputados aos congressistas e do flagrante por crime inafiançável. Conforme destaca no pedido, as gravações ambientais e interceptações telefônicas demonstram que os parlamentares “vem adotando, constante e reiteradamente, estratégias de obstrução de investigações da Operação.