Procurador é perseguido por falar de Deus e fazer oração em evento do Ministério Público

29 de maio de 2017 | _
Opinião e Critica - O Procurador de Justiça Sérgio Harfouche, que também é pastor evangélico, está sendo acusado de violar o "estado laico" por ter falado sobre Deus e feito uma oração em nome de "Jesus Cristo" durante evento para pais e educadores promovido pelo Ministério Público de Dourados, no Mato Grosso do Sul.

O Procurador Sérgio Harfouche também falou contra a ideologia de gênero, despertando ainda mais a ira de quem tenta promover essa "doutrina" no Brasil, especialmente através das escolas.

Harfouche, protagonista de uma lei que leva o seu nome, a "Lei Harfouche" (veja abaixo), virou alvo de críticas, também, por ter supostamente obrigado os pais dos alunos das escolas de Dourados a comparecerem ao evento, sob o risco de serem multados caso não fossem.

Após a repercussão quase imediata das acusações contra o Procurador, uma análise honesta dos fatos nos permitiu entender que se trata, na verdade, de perseguição religiosa e patrulhamento ideológico patrocinado por militantes inconformados com a ascensão de Sérgio Harfouche e seus valores no cenário público de Mato Grosso do Sul.