Ex-presidente da FUNAI diz que saiu do cargo por ser honesto

5 de maio de 2017 | _
O ex-presidente da Fundação Nacional do Índio - FUNAI, Antonio Fernandes Costa disse hoje que o líder do governo na câmara Andre Moura (PSC) arquitetou sua queda e que no país está se instalando uma ditadura.

Durante entrevista na sede do órgão o ex-presidente enfatizou que não compactua com "malfeitos” do governo federal.

Costa acusa o ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB) de ser ministro de uma causa, a serviço dos interesses do agronegócio. 

"O povo brasileiro precisa acordar, o povo brasileiro está anestesiado. Nós estamos prestes a se instalar nesse país uma ditadura que a Funai já está vivendo. Uma ditadura que não permite ao presidente da Funai executar as políticas institucionais. Isso é muito grave. O povo brasileiro precisa acordar", declarou.

Em entrevista coletiva o ex-presidente ainda disse que a bancada ruralista "não só assumiu o controle das questões indígenas, mas também do Congresso Nacional".

A Folha de S Paulo publicada no último dia 2 mostrou que o ministro teve sua agenda oficial dominada por ruralistas e alvos da Operação Lava Jato. Foram cem audiências com integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária e com políticos investigados. Não houve nenhum encontro registrado oficialmente com representantes indígenas.

O ex-presidente da FUNAI disse que saiu do cargo por ser honesto, o que significa dizer que não tendo cedido a pressões para fazer o errado foi demitido.