A falta de articulação de Fachin deixa Palocci a beira da liberdade

6 de maio de 2017 | _
Em meio a reformas e corrupções, o assunto no topo nas rodas na Capital brasileira, é Gilmar Mendes e sua disposição em conceder a liberdade ao ex-ministro Antonio Palocci.

O jornalista de O Globo, Jorge Bastos Moreno diz em sua coluna de hoje que o relator da Lava Jato, Edson Fachin coloca o recurso de Palocci direto em plenário, pulando a 2ª turma sem antes consultar colegas. Por tanto, a sua falta de articulação poderá por terra todo seu trabalha de manter o ex-ministro aprisionado. 

Querendo repetir o feito do então relator, ministro Teori Zavascki, falecido em acidente de avião, Fachin tem apoio apenas de dois colegas que são a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Mas... embora importantes esteios, Lúcia e Janot apenas não garante a Fachin o sucesso alcançado por Teori.

Na corte, o grupo encabeçado pelo ministro Gilmar Mendes, disposto a conceder liberdade a Palocci, começa a tomar corpo com rumo a liberdade do ex-ministro e de quem mais chegar.

O jornalista cita ainda que um ministro próximo de Gilmar adverte: se engana quem pensa que a votação do mérito do recurso da defesa de Palocci será o passeio que foi o de Eduardo Cunha, mantido preso pelo plenário do STF.

Enquanto Fachin teria se articulado apenas com a dupla citada, Cármen-Janot.

De onde se conclui que o melhor é apostar na imprevisibilidade dos resultados.